Pesquisa

A história do autismo tem 8 décadas; ortografia para se comunicar tem menos de uma década. O corpo de pesquisa que apóia ambos está em sua infância. O I-ASC espera mudar isso:
  • Manter registros rigorosos e coletar dados de referência para entender melhor a comunicação não faladora
  • Desenvolvimento de métricas para documentar o progresso do corretor ortográfico
  • Usando uma abordagem sistemática para documentar e medir a prática inovadora
  • Envolvendo-se com pesquisadores que desejam compreender os sistemas sensório-motores de crianças e adultos que não falam
  • Incentivando a pesquisa interdisciplinar e a coleta de dados colaborativa em parceria com pessoas que não falam - os verdadeiros especialistas no assunto.

Eye-tracking revela agência na comunicação autista assistida

ESTE é o estudo que muda tudo! Este estudo de rastreamento ocular revela processos cognitivos em indivíduos não falantes que soletram para se comunicar!